23m-mar.jpg
23m-4luzes2.jpg
23m-mar.jpg

23 Milhas


A cultura do dia-a-dia

 

Concelho de Ílhavo

SCROLL DOWN

23 Milhas


A cultura do dia-a-dia

 

Concelho de Ílhavo

 
 
23m-blk.jpg
 
 

O 23 Milhas é um projeto de transformação cultural do município de Ílhavo, que se foca no conteúdo cultural e que abandona a ideia de Centros Culturais

Em quatro espaços, Laboratório, Fábrica, Casa e Cais, é dinamizado um plano holístico para a cultura, valorizando o património imaterial ilhavense, integrando a comunidade nos processos de criação, levando mais artistas ao concelho e o concelho ao mundo.
Um projeto dinâmico nas várias áreas de criação artística, música, teatro, dança, arquitectura, design, ilustração e cinema, que aposta tanto na contemporaneidade, como nos típicos eventos e rituais ilhavenses. Promover a criação e o pensamento e cultivar a relação entre criador e espectador.
A cultura do dia-a-dia.
 

Luz que invade o mar, luz que identifica a terra, toda ela circunda e define o primeiro esboço da identidade do projeto.

Partindo das 23 milhas náuticas de alcance luminoso do Farol da Barra, monumento concelhio e nacional, “de luz subitamente tão acesa, de noite e ausência tão rapidamente volvida”, a luz começou a ditar as regras da construção gráfica da representação, não só figurativa, mas também no seu significado direto de uma identificação local/regional e que se interliga com o território global, uma vez que os limites luminosos de um farol se fundem com todos os congéneres. Dessa ideia de circunferência luminosa, com a natural e evidente identificação de quatro espaços (ideia igualmente interligada à codificação luminosa do Farol da Barra, também ela composta por quatro luzes fixas e 13 segundos de intervalo), o círculo separa‑se em quatro partes iguais, cada uma representativa de cada espaço. O projeto global, 23 Milhas, define‑se finalmente por um elemento representativo de um quadrante, instrumento nobre de navegação, também ele usado como orientador, tendo por base a Estrela Polar e o Sol, dois feixes luminosos.

23m-4luzes2.jpg

4 luzes


4 luzes


4 Luzes

 

Laboratório das Artes

Teatro da Vista Alegre

O Laboratório é constituído por dois núcleos centrais: Espaço dedicado ao pensamento, pesquisa e experimentação e espaço de programação. 

Poucos são os locais a nível nacional dedicados às fases mais embrionárias da cultura e da arte. É essencial para um projeto com a dimensão do 23 Milhas que exista uma margem exploratória dedicada ao pensamento puro sem um fim específico. Aqui serão trabalhados projetos de pesquisa em várias áreas artísticas e em ciências sociais, instrumentos indispensáveis para cultura: antropologia, sociologia e psicologia.

Desta forma será destinado um espaço para workshops, conversas, debates e colóquios e outro espaço para cowork em projetos de investigação e pesquisa nas áreas mencionadas.

Com especial foco nas estações outono e inverno, o auditório do Teatro terá um especial foco nas manifestações mais eruditas: clássicas e contemporâneas, tirando partido da escala e do ambiente acolhedor do Teatro.

A programação prevista será mais especializada, trazendo para a região projetos de renome nacional e internacional e, simultaneamente, para os agrupamentos dos cursos artísticos do DeCA da Universidade de Aveiro.


Parceria: Universidade Aveiro; Fábrica Vista Alegre

 
23m-FIdeias.jpg

Fábrica das Ideias

Gafanha da Nazaré

Aqui serão fabricadas as ideias. Esta Fábrica trabalhará os processos artísticos a todo o vapor. Numa cidade industrial, a cultura também assumirá esse papel produtivo. Mãos na massa poderia ser o mote. Aqui entram ideias e saem projetos artísticos. Será um espaço com ótimas condições para acolher artistas em residência que terão ao seu dispor salas de ensaio, auditório e oficinas (madeira, pintura, têxtil e metais), com especial enfoque nas disciplinas de artes visuais e performativas. Com estas residências pretendemos trazer a produção cultural para o dia-a-dia da cidade. Aumentar a permanência de artistas na cidade, criar projetos de parceria com escolas, em especial as de ensino secundário. A Fábrica das Ideias será responsável por levar o nome do concelho para o mundo. Será um móbil de exportação.

Tendo em conta as características urbanísticas da Gafanha da Nazaré, onde não é clara a existência de um centro cívico para onde confluem, de uma forma natural, os seus habitantes, a Fábrica das Ideias deverá ser um pólo agregador dos vários públicos. A Fábrica será um espaço permeável, criando ambientes apetecíveis, tanto nos seus interiores, como no jardim envolvente. Bar, espaço de leitura, salas de trabalho e oficinas estarão ao dispor tanto da comunidade como dos artistas em criação. Pretendemos que todos se apropriem do espaço e que se vejam como elementos produtivos. A decoração do espaço será da responsabilidade de designers sociais e artistas que trabalhem com a comunidade, partindo das suas referências, histórias e conhecimentos técnicos.

PARCERIAS: ASSOCIAÇÕES DO MUNICÍPIO DE ÍLHAVO

 

 
23m-ccilogo.jpg

Casa da Cultura

Ílhavo

Saber receber é uma marca de Ílhavo e aqui alia-se essa tradição às condições extraordinárias deste espaço. Um ambiente acolhedor, tanto para artistas como para o público, uma segunda casa. A Casa da Cultura trará mundo ao concelho e à região. Posiciona Ílhavo no roteiro nacional com programação eclética e multidisciplinar, com uma crescente aptidão para apresentar projetos exclusivos, estreias e antestreias. Com um conjunto reforçado de parcerias e redes, será possível à Casa da Cultura apresentar uma programação internacional que trará o que de melhor se faz no mundo da música, dança e teatro.

Seguindo o mesmo princípio, as artes visuais serão trabalhadas a partir do território e da sua identidade, trazendo para a contemporaneidade os temas, os artistas, as lendas e as práticas do passado. Pretende-se também trabalhar a identidade do local com olhares exteriores, usando a memória como inspiração para a criação contemporânea.

A casa como lar, lugar de acolhimento e criação.

 

Cais Criativo

Costa Nova

A programação do Cais Criativo terá especial incidência no semestre primavera/verão, criando um conteúdo complementar à praia, tirando partido dos fluxos turísticos.  

Uma programação marcadamente jovem que abarca as franjas mais efervescentes da cultura. Um espaço descontraído e jovem onde o encontro leva a um copo e o copo ao conteúdo artístico. Um verdadeiro cais assoreado nas dunas, onde existirão verdadeiros intercâmbios culturais, dignos de uma cidade portuária. Música, moda, arquitetura, fotografia e design serão as disciplinas de eleição.
No período de inverno o Cais Criativo estará disponível para o acolhimento de residências artísticas imersivas. A sua localização e a sua morfologia são ideais para projetos que procuram um contacto intenso com a natureza e uma abstração quase total das dinâmicas urbanas.